segunda-feira, 31 de agosto de 2009

ABAIXO ASSINADO

Se você é apreciador, tarólogo, aluno de Tarot, fez uso do Tarot em algum momento da vida e apreciou ou, simplesmente, gostou do texto abaixo, envie um e-mail para monica@templodeminerva.com com seu nome completo e Rg. Estou organizando um abaixo assinado para enviar ao fabricante do Tarot de Crowley, a US Games, no intuito de que voltem a fabricá-lo pois ele se encontra esgotado no momento, o que é lamentável e prejudicial para a expansão do conhecimento Esotérico. Conto com a sua colaboração!

domingo, 30 de agosto de 2009

O Jogo da Vida

Existem muitos oráculos de adivinhação no mundo inteiro: runas, moedas, búzios, quiromancia, borra de café, mas nenhum tão utilizado e divulgado quanto o Tarot, ou baralho, como é mais conhecido. Entretanto, se nos aprofundarmos na sua história, vamos descobrir que, na sua origem, o Tarot não era apenas um jogo de adivinhação, mas um método de auto-iniciação que revela os mistérios da criação e da natureza humana.


O Tarot pode ser usado de duas formas distintas: na cartomancia, onde as cartas expostas servem como veículo para a manifestação da mediunidade de quem as está interpretando e na análise tarológica, cujo profissional, geralmente um terapeuta holístico, estabelece uma relação entre o inconsciente do consulente e os arquétipos representados pelas cartas, conforme a lei da sincronicidade defendida por Carl Gustav Jung.


Se procurarmos aleatoriamente em livrarias e lojas especializadas, encontraremos infinitos tipos de baralho: uma vez até encontrei o Tarot do Senhor do Anéis! Além do tema, o número de cartas em cada baralho também é muito variável: 12, 26, 42, 48, 72,78 cartas e por aí vai. Entretanto, se respeitarmos a relação do Tarot com o conhecimento hermético e suas analogias com os Caminhos Cabalísticos, percebemos que ele deve totalizar 78:


22 Arcanos Maiores
Série também conhecida como "Viagem do Louco" e compreende as etapas humanas de desenvolvimento e aprendizado ao longo da existência. Trata-se do nosso ciclo de nascimento – morte – renascimento com suas crises, mudanças e expansões.


16 Figuras da Corte
São os tipos de personalidade humana. Trabalham com os 4 elementos da natureza (Fogo, Água, Terra e Ar) de forma a constituir bases de comportamento através suas combinações.

40 Arcanos Menores
Reúnem as características mais práticas do cotidiano pessoal, vícios e virtudes. São divididos em 4 séries de 10 cartas cada, também referentes aos 4 elementos da natureza que englobam todas as características da Vida.

O mais completo e atualizado Tarot criado chama-se Tarot de Crowley ou Tarot de Thoth idealizado pelo sábio e estudioso mago Aleister Crowley e concretizado pela egiptóloga e artista plástica Frieda Harris na Inglaterra entre 1937 e 1943.

Seria muita pretensão minha tentar descrever aqui com detalhes esta obra-prima que combina o Esoterismo com a Arte Plástica de maneira magistral em cada um dos 78 arcanos. Crowley reuniu todo o conhecimento alquímico, astrológico, mitológico, numerológico e cabalístico na última obra de sua vida, ou seja, trata-se da síntese da vida de estudos profundos, pesquisas audaciosas do profeta da Era de Aquário e sua filosofia que ele chamou de Thelema, a suprema realização do Eu Superior de cada homem e cada mulher.

Vale a pena apontar algumas diferenças entre o Tarot de Crowley e a maioria dos outros Tarots. A mais polêmica é a dos Arcanos abaixo:



Ambos referem-se à mesma etapa de desenvolvimento humano, quando reconhecemos a força vital instintiva dentro de nós. A maioria dos baralhos se refere a uma donzela fechando a boca de um leão, símbolo do poder inconsciente, como a carta da direita do Tarot de Rider-Waite, no intuito de dominar, controlar e conter esta força que nos leva à lucidez e ao reconhecimento de nosso deus interior. Já o da esquerda (Crowley) representa uma mulher totalmente entregue a este poder, sem restrições ou limites, ou seja, em harmonia com sua força instintiva, também conhecida como Kundalini, nosso maior poder de discernimento que conduz ao reconhecimento do nosso verdadeiro Self.


Outra diferença notável está no Arcano 20. Conhecido por "O Julgamento" na maioria dos baralhos tradicionais, Crowley o renomeou em seu trabalho como "O Aeon".

Aeon, "Era" em grego, é profético. Anuncia uma nova abertura, uma nova e evolutiva forma de julgar sem preconceitos, sem tabus e dogmas que impõe as noções de "pecado", de certo ou errado. Nasce um novo período para a Humanidade que recorre à sensatez ao invés da pura "eleição" daqueles que se comportaram direitinho de acordo com as regras estabelecidas.





A riqueza simbólica do Tarot de Crowley também é única. Cores, formas, figuras, tudo tem um significado inerente ao Arcano em questão. Para quem aprecia as ciências esotéricas ou ocultas, para os estudiosos da Cabala e da Magia e, principalmente, para os buscadores da filosofia de Aleister Crowley como visionário da Era de Aquário, o estudo profundo deste Tarot é imprescindível.

sábado, 1 de agosto de 2009

Esquizofrenia, Astrologia e Paranormalidade.


Muito tem sido discutido ultimamente sobre uma doença mental chamada Esquizofrenia por causa da exibição da novela "Caminho das Índias", onde Tarso, personagem interpretado pelo ator Bruno Gagliasso, ouve vozes, tem mania de perseguição e um comportamento pendular que varia da introversão absoluta até a agressão desmedida.



Doença muito difícil de ser diagnosticada precocemente por ser facilmente confundida com outras como Depressão, Transtorno bipolar ou Síndrome do Pânico, acaba levando o portador a internações, afastamento dos familiares e da sociedade, o que piora o quadro.



Mas o que tem isto a ver com a Astrologia e a Paranormalidade? Tudo. Explico. Por ter sempre me dedicado à Astrologia Psicológica e Terapêutica, acabei tendo acesso a dados de pacientes portadores de Esquizofrenia por meio de parentes ou outros terapeutas na busca de explicações ou possíveis soluções para melhor convivência. Através desta experiência, consegui coletar alguns pontos em comum que valem a pena ser abordados.



Aquela que eu constatei ser a característica mais peculiar é a presença de, no mínimo, dois astros na décima segunda casa do mapa astrológico. Traduzindo: a décima segunda casa refere-se a questões de nossa vida que fogem do mundo cotidiano e lógico que conhecemos. São os sonhos, intuições, mediunidade, conexões com o inconsciente coletivo. Até aí, tudo bem, os médiuns, paranormais e muitos religiosos têm esta área astrológica extremamente forte e muito requisitada em todos os processos de sua vida, e dois ou mais astros também influenciam sua décima segunda casa. No entanto, por que não desenvolvem a doença? A diferença é que a mente consciente representada por Mercúrio no mapa astrológico do indivíduo, responsável pelo raciocínio, pensamento, comunicação e intelecto dos portadores de Esquizofrenia é assediado por aspectos muito complicados de Urano, em sua maioria ou por Netuno. Urano em aspecto com Mercúrio é uma "faca de dois gumes". Quando em aspecto fluente, causa genialidade, uma inteligência capaz de aprender qualquer tecnologia de ponta e compreender ciências abstratas e herméticas como a Astrologia ou a Ufologia. Entretanto, em situações de quadratura, quando Urano é distante de Mercúrio aproximadamente 90º no nascimento, este brilhantismo mental é transformado em proliferação de idéias sem concatenação e lógica, entrechocando-se e causando total confusão mental, podendo prejudicar a linguagem (dislexia) e o fluxo de pensamentos (Esquizofrenia ou Mal de Alzheimer, em idade avançada).



No caso dos médiuns e paranormais que têm uma vida normal, Mercúrio é responsável pela sua lucidez em entender a diferença entre os mundos espiritual e material, ou seja, eles entendem que a entidade que se manifestou para eles durante um transe mediúnico encontra-se em outra dimensão, e têm discernimento o suficiente para analisar e classificar o tipo de informação canalizada.



Há relatos de psicoterapeutas, cujos doentes até se auto-denominavam Jesus Cristo, gurus dentre outros delírios místicos. E é curioso o fato da maioria deles ter nascido com o Sol ou a Lua na nona casa astrológica: os buscadores do divino, pesquisadores de algo superior ou maior mas que, pela questão cognitiva perturbada pela situação acima descrita (Urano X Mercúrio), acabam se identificando com a ilusão criada por si mesmos através desta busca. São pessoas que, além do tratamento necessário, não devem cultivar a estagnação mental. Sua criatividade deve sempre ser incentivada, sua curiosidade deve ser direcionada a estudos filosóficos sob pena de acabarem perdidas no turbilhão do próprio delírio que direciona ao medo e ao isolamento das internações.



São tantos paralelos entre os diagnósticos psiquiátricos, psicanalíticos e astrológicos que, por si só, este tema originaria várias publicações! O importante é constatar que, até o início do século XX, a Esquizofrenia era taxada de "demência precoce" e, até hoje, é vista com preconceito. No entanto, os acometidos por ela são, na verdade, pessoas de uma extrema sensibilidade espiritual, com potencial criativo e filosófico, mas desorganizados no seu raciocínio. A Astrologia, conhecimento ainda muito pouco levado a sério e carente de estudos destituídos de preconceitos ou dogmas religiosos, é a ferramenta de análise que consegue interpretar o micro em analogia com o macrocosmo estabelecendo relações transdisciplinares na proporção em que promove o entendimento e a aceitação entre os seres humanos.